«Senti que ainda estou vivo» – Helton

Batido apenas da marca de grande penalidade, Helton foi uma das figuras maiores do empate arrancado em Braga pelo FC Porto, num jogo em que actuou 50 minutos com nove jogadores. Envergando a braçadeira de capitão, Helton realizou duas mãos-cheias de defesas decisivas e assumiu-se como um dos grandes destaques individuais no colectivo portista. O guardião brasileiro não escondeu a felicidade pela exibição e pelo papel fulcral que desempenhou nesta igualdade.

“Estou feliz, porque senti que ainda estou vivo e isso é gratificante. Pude ajudar o FC Porto e a minha equipa, que me apoiou muito. É uma das maiores alegrias que poderia ter. Sempre que o treinador confia em mim, estou sempre focado e disposto a fazer o que for preciso pela equipa. O que realmente queria era isto, sentir que estou vivo e capaz de ajudar o meu clube. Não tenho nenhum problema com ninguém e estou aqui para trabalhar, tal como os meus companheiros de posição. Não entendi que rumo se deu ao jogo logo no início, mas não me compete a mim falar sobre isso”, afirmou o camisola um na flash interview que se seguiu à partida com o Sporting de Braga.

Fonte: fcporto.pt

Anúncios