New Balance: A história

A New Balance, marca que vestirá os Dragões a partir de 2015/16, vai desbravando caminho na Europa e o FC Porto assume-se como cabeça-de-cartaz entre os clubes equipados pela empresa norte-americana. Além do emblema português com maior número de títulos conquistados e recordista de presenças UEFA Champions League, a New Balance está presente noutros campeonatos de grande impacto como o inglês, nas camisolas de Liverpool e Stoke City, e o espanhol, nas do Sevilha.

Fundada em 1906 por William J. Riley, em Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos, esta empresa arrancou com o nome de New Balance Arch Support Company e começou por especializar-se na produção de palmilhas e calçados ortopédicos, sendo que só em 1938 lançou o primeiro par de sapatilhas para corrida. Nas décadas de 50 e 60 viria mesmo a tornar-se uma referência para corredores, fazendo da produção de calçado para corrida a sua principal actividade durante vários anos.

Antes disso, em 1941, a New Balance Arch Support Company lança o primeiro sapato personalizado de basebol, alargando ainda a sua produção ao atletismo, basquetebol, ténis e boxe. Com o passar dos anos, a empresa foi consolidado a sua posição à escala global, fazendo da produção de calçado personalizado para variados desportos a sua grande imagem de marca. Até que, em 2015, a New Balance abraça definitivamente o mundo do futebol, procurando aproveitar a história e o sucesso do FC Porto para ajudar a projectar a sua imagem no desporto-rei.

Fonte: fcporto.pt

Anúncios

«Vai ser uma batalha dura e difícil» – Julen Lopetegui

A goleada sobre o Paços de Ferreira (5-0) já faz parte do passado e no futuro mais próximo do FC Porto está o Moreirense, adversário dos Dragões na 20.ª jornada da Liga portuguesa, em jogo marcado para este sábado, às 20h15, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos. No lançamento do desafio, Julen Lopetegui elogiou a organização da equipa comandada por Miguel Leal e revelou esperar “uma batalha dura e difícil” pela conquista dos três pontos.

“Espero, acima de tudo, a realidade de uma equipa que, para o campeonato, ainda só sofreu cinco golos em casa. O Moreirense é uma equipa forte, organizada e muito solidária, sobretudo a jogar no seu campo. Vai ser uma batalha dura e difícil, mas queremos vencer e vamos fazer por isso. Temos de nos focar nos nossos recursos e fazer tudo para vencer, sejam quais forem as circunstâncias. Temos um grande respeito pelo Moreirense, mas só pensamos na vitória”, afirmou Julen Lopetegui na conferência de imprensa que se seguiu a mais uma sessão de trabalho, no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival.

Na mesma jornada em que se disputa um Sporting-Benfica, cujo resultado pode alterar as diferenças pontuais na parte cimeira da tabela, o técnico espanhol sublinhou que o foco portista está totalmente direccionado a Moreira de Cónegos. “Esta jornada é muito importante porque temos de vencer o Moreirense, uma equipa com capacidade para nos criar dificuldades. Só temos poder de acção no nosso jogo, que vai ser difícil e complicado. Essa é a nossa responsabilidade e o resto não nos diz respeito. Temos é de pensar em vencer o nosso jogo pois isso é o que realmente nos importa”, explicou o técnico dos azuis e brancos.

Satisfeito pela chegada de Hernâni, o mais recente reforço portista, e pela reintegração de Brahimi, que representou a Argélia na Taça das Nações Africanas (CAN), Julen Lopetegui salientou a importância de ter o plantel praticamente na máxima força para os compromissos futuros. “Qualquer jogador no plantel tem condições para jogar e o Hernâni é uma opção real para o resto da temporada. O Brahimi voltou de uma realidade diferente e é preciso readaptá-lo à nossa, mas é sempre importante ter quase todos os jogadores à disposição. A concorrência é boa para a equipa, treinadores e jogadores, e só demonstra a qualidade que existe no plantel”.

A contratação de Hernâni coincidiu com as saídas, por empréstimo, de Otávio, Ivo Rodrigues e Sami para o Vitória de Guimarães. Julen Lopetegui acredita que os três atletas vinculados aos Dragões têm excelentes condições para prosseguir a sua evolução: “Estão numa equipa muito interessante para jogar e evoluir. O que desejamos é que todos tenham uma boa temporada e que continuem a crescer”.

Fonte: fcporto.pt

Gonçalo Paciência novamente no treino

Gonçalo Paciência, do FC Porto B, voltou a integrar os trabalhos da equipa principal e foi a única nota de destaque no treino desta quinta-feira do FC Porto, que decorreu no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival.

Em mais uma sessão de trabalho tendo em vista o jogo frente ao Moreirense (sábado, 20h15), em Moreira de Cónegos, para a 20.ª jornada da Liga, Julen Lopetegui apenas não pôde contar com Adrián López, que se limitou a realizar tratamento.

Os Dragões voltam a treinar esta sexta-feira, às 10h30, novamente no Olival, à porta fechada.

Fonte: fcporto.pt

FC Porto B: «Temos de assumir a nossa identidade» – Luís Castro

O FC Porto B desloca-se ao Centro Desportivo da Madeira para defrontar o União da Madeira, no sábado, às 11h15, em partida da 26.ª jornada da Segunda Liga, e Luís Castro, técnico dos “bês”, quer que a sua equipa faça “um jogo de qualidade”. Em antevisão ao Porto Canal e www.fcporto.pt, o técnico considerou o União “uma equipa servida de muito bons jogadores” e “bem orientada”, reconhecendo que os Dragões terão de ser solidários a defender e “chegar à frente muito apoiados”.

“Queremos fazer um jogo de qualidade, com uma grande determinação e conquistar os três pontos. O União da Madeira é uma equipa servida de muito bons jogadores, bem orientada pelo Vitor Oliveira, e está a preparar, e bem, o jogo com o FC Porto B com muito cuidado, porque também sabemos que o União está num momento em que está muito perto dos primeiros lugares. É um quadro difícil para o FC Porto B, mas vamos querer ganhar e vamos fazer tudo para que isso aconteça, sabendo dos perigos de jogar contra equipas daquela dimensão”, disse Luís Castro.

A fórmula para tentar derrotar os madeirenses, que até jogaram contra a equipa principal do FC Porto, perdendo no Dragão por 3-1, em jogo da Taça da Liga, passa, segundo o técnico, pela solidariedade “no momento defensivo”: “Temos de assumir a nossa identidade. Quando tivermos a bola temos de chegar à frente muito apoiados, estando sempre equilibrados defensivamente. Espero que os jogadores tenham consciência de que isso é fundamental para chegar à vitória”.

A saída de vários jogadores em Janeiro, como Ivo Rodrigues, Tiago Rodrigues, Kayembe, Célestin Djim e Braima Candé, foi um sinal de que “os jogadores do FC Porto B foram muito procurados no mercado”: “Foi do entendimento do FC Porto que era a hora de dar novos caminhos a alguns jogadores. Se fôssemos a responder positivamente a todas as solicitações do mercado, tínhamos ficado sem equipa, fruto do valor que têm e do trabalho que têm vindo a desenvolver, o que nos deixa muito satisfeitos. É para isso que a estrutura trabalha e vê-los a crescer é motivo de satisfação para nós. Os que ficaram sabem que, dentro do clube, damos sempre sequência ao trabalho profissional que fazem no dia-a-dia. Espero que aqueles que não têm tido tantas oportunidades trabalhem para as que irão surgir no onze inicial”.

Fonte: fcporto.pt

Dragon Force Basquetebol: João Torrie quer equipa com “ambição e humildade”

​Com 13 vitórias em outros tantos jogos nesta Proliga, o Dragon Force é líder indiscutível e mantém um registo de imbatibilidade que não é partilhado por nenhuma outra equipa. A 15.ª jornada da prova reserva uma recepção ao Eléctrico FC, marcada para este sábado, às 17h00, no Dragão Caixa, e João Torrie dá o mote para que a caminhada triunfal se prolongue por mais um fim-de-semana.

“É o jogo mais difícil porque é o próximo. Temos de o encarar com a máxima ambição e humildade, quanto mais não seja porque vamos defrontar o segundo classificado. Jogamos em casa, diante dos nossos adeptos, e isso torna ainda maior a nossa obrigação de fazer as coisas bem desde o primeiro minuto”, declarou João Torrie, ao Porto Canal e www.fcporto.pt, perspectivando o desafio com o conjunto de Ponte de Sôr, que segue a quatro pontos dos azuis e brancos, défice resultante das duas derrotas somadas até ao momento.

A invencibilidade portista pode ter várias leituras, mas para o poste dos Dragões pode resumir-se em duas palavras: responsabilidade e motivação. “O registo que temos até ao momento aumenta a responsabilidade e a motivação, pois vamos em primeiro lugar, só com vitórias. Sentimos a responsabilidade de defender essa posição e esse estatuto que, ao mesmo tempo, servem de motivação para trabalharmos cada vez mais para os manter. Temos os nossos objectivos bem definidos e querermos concretizá-los o mais rápido possível”, explicou João Torrie.

Sendo uma das faces mais visíveis daquela que é a melhor defesa da Proliga, João Torrie não escondeu a sua satisfação pelos elogios de Moncho López à capacidade defensiva que demonstra dentro do campo. O técnico espanhol colocou mesmo João Torrie entre a elite nacional no que à defesa do cesto diz respeito. “Fico feliz por esse reconhecimento, sobretudo vindo de alguém que tem uma responsabilidade muito grande nesse aspecto do meu jogo”.

O jogo entre Dragon Force e Eléctrico FC, da 15.ª jornada da Proliga, disputa-se este sábado, às 17h00, no Dragão Caixa, e terá transmissão em directo no Porto Canal.

Fonte: fcporto.pt

Hóquei em patins: Jorge Silva não quer facilitar frente ao La Vendéene

O La Vendéene é o adversário do FC Porto Fidelidade no último jogo do grupo D da Liga Europeia e, apesar de os comandados de Tó Neves já terem a qualificação e o primeiro lugar no grupo assegurados, a vitória continua a ser o objectivo para a partida de sábado (20h00, Dragão Caixa). Jorge Silva disse que os Dragões querem fazer o seu jogo frente a uma equipa que virá ao Caixa com as suas próprias ambições de passar a próxima fase.

“Este é um jogo com o factor extra de já termos tudo resolvido. Estamos com o pensamento apenas neste jogo de sábado, mentalizados de que queremos a vitória e as contas do grupo serão feitas pelas restantes equipas. Sabemos que teremos uma partida na quarta-feira que será mais importante do que esta partida”, afirmou Jorge Silva, em declarações ao Porto Canal e www.fcporto.pt, referindo-se à difícil deslocação ao terreno dos Carvalhos, relativo à 18.ª jornada do Campeonato Nacional (11 de Fevereiro, 21h00).

Para Jorge Silva, este encontro com os franceses poderá servir também para os Dragões, que venceram o La Vendéene em França, por 5-3, criarem “ritmos de jogo” diferentes com todos os jogadores disponíveis: “Temos de ter em atenção que eles vêm com as aspirações deles e vão tentar sair daqui com uma vitória. Nós vamos fazer o nosso jogo e acredito que, naturalmente, podemos ganhar a partida. Acredito que seja um jogo para rodar a equipa e para criar ritmos de jogo com todos os elementos do plantel. Penso que poderá ser uma boa alternativa para dar minutos de jogo aos menos utilizados”.

Fonte: fcporto.pt

Pinto da Costa e o tufão que passou pela Liga

Pinto da Costa, presidente do FC Porto, considera que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional está, agora, no bom caminho, deixando críticas à anterior gestão do organismo, pelo qual passou «um tufão.»

«Os tufões passam e depois há que reconstruir aquilo que fica para entrar na normalidade. É isso que está a acontecer. Ao fim de 100 dias de mandato do Dr. Luís Duque, hoje a Liga respira outro ar, tem outras possibilidades e direi mesmo outra credibilidade», afirmou, deixando uma espécie de crítica à anterior liderança do organismo, conduzida por Mário Figueiredo.

O presidente do clube portista falou aos jornalistas à margem da apresentação do novo patrocinador da Primeira Liga, numa parceria com a NOS válida por três anos e meio.

«Felizmente foi possível e sei que foi um belíssimo acordo para a Liga. O investimento feito pela NOS, para além de ter monetária e financeiramente, não vou dizer salvado a Liga, mas quase, também é importante porque é um parceiro de grande prestígio», rematou.

Fonte: zerozero.pt