FC Porto B: «Temos de assumir a nossa identidade» – Luís Castro

O FC Porto B desloca-se ao Centro Desportivo da Madeira para defrontar o União da Madeira, no sábado, às 11h15, em partida da 26.ª jornada da Segunda Liga, e Luís Castro, técnico dos “bês”, quer que a sua equipa faça “um jogo de qualidade”. Em antevisão ao Porto Canal e www.fcporto.pt, o técnico considerou o União “uma equipa servida de muito bons jogadores” e “bem orientada”, reconhecendo que os Dragões terão de ser solidários a defender e “chegar à frente muito apoiados”.

“Queremos fazer um jogo de qualidade, com uma grande determinação e conquistar os três pontos. O União da Madeira é uma equipa servida de muito bons jogadores, bem orientada pelo Vitor Oliveira, e está a preparar, e bem, o jogo com o FC Porto B com muito cuidado, porque também sabemos que o União está num momento em que está muito perto dos primeiros lugares. É um quadro difícil para o FC Porto B, mas vamos querer ganhar e vamos fazer tudo para que isso aconteça, sabendo dos perigos de jogar contra equipas daquela dimensão”, disse Luís Castro.

A fórmula para tentar derrotar os madeirenses, que até jogaram contra a equipa principal do FC Porto, perdendo no Dragão por 3-1, em jogo da Taça da Liga, passa, segundo o técnico, pela solidariedade “no momento defensivo”: “Temos de assumir a nossa identidade. Quando tivermos a bola temos de chegar à frente muito apoiados, estando sempre equilibrados defensivamente. Espero que os jogadores tenham consciência de que isso é fundamental para chegar à vitória”.

A saída de vários jogadores em Janeiro, como Ivo Rodrigues, Tiago Rodrigues, Kayembe, Célestin Djim e Braima Candé, foi um sinal de que “os jogadores do FC Porto B foram muito procurados no mercado”: “Foi do entendimento do FC Porto que era a hora de dar novos caminhos a alguns jogadores. Se fôssemos a responder positivamente a todas as solicitações do mercado, tínhamos ficado sem equipa, fruto do valor que têm e do trabalho que têm vindo a desenvolver, o que nos deixa muito satisfeitos. É para isso que a estrutura trabalha e vê-los a crescer é motivo de satisfação para nós. Os que ficaram sabem que, dentro do clube, damos sempre sequência ao trabalho profissional que fazem no dia-a-dia. Espero que aqueles que não têm tido tantas oportunidades trabalhem para as que irão surgir no onze inicial”.

Fonte: fcporto.pt

Anúncios